Arquivo de fevereiro \02\UTC 2012

Dicas para detectar a violência doméstica.

No dia 25 de novembro, dia internacional pela não violência contra a mulher, assisti a uma palestra sobre o tema e recebi de Irene Navarro, escrivã de polícia da 3ª Delegacia de Defesa da Mulher de São Paulo, uma divulgação de como detectar situações de violência contra a mulher e o que é mais comum baseado em sua experiência:

A Violência Doméstica contra a mulher é composta por 4 fases distintas:

1ª) Acúmulo de tensão: a irritabilidade vai aumentando sem razão compreensível a aparente, as discussões se intensificam e surgem agressões verbais.
2ª) Exposição violenta: ocorre o descontrole e a concretização de atos violentos, é nesta fase que ocorrem os insultos e as agressões físicas; geralmente o autor está sob efeito de álcool ou algum outro tipo de substância entorpecente.
3ª) Dúvida e incerteza: momento em que a mulher se sente confusa e desorientada, o autor sente remorso pelas atitudes cometidas, pede perdão, chora, promete mudar, ser amável, bom marido e pai; conseguindo convencer a mulher da mudança.
4ª) De volta ao passado: o reinício de um novo ciclo, uma vez perdoado tem início uma nova fase de irritabilidade com aumento de tensão, o que ocorre a partir do momento que a mulher começa a usar a autonomia recém conquistada; o autor sente a perda do controle sobre a mulher, o que gera um novo ciclo de violência.

Não é necessário esperar uma manifestação agressiva. Dicas para reconhecer um agressor:

– O controlador: quem de nós não conhece aquela história do homem que quer saber se a mulher entra ou sai de casa, com quem está, como está vestida, aonde vai, quanto gastou, se recebeu ou fez ligações e com quem conversou nessas ligações e o que conversou?
– O dono da razão: esteja onde ou com quem for, desvaloriza, desautoriza ou insulta a mulher?
– O reincidente: aquele que já possui antecedente de comportamento violento com outra pessoa, mulher ou não; até agindo com os chamados atos reflexos, que são os atos repentinos e sem sentido (aquele que depois de agirmos, pensamos: “nossa como fui capaz disso?”); atos de crueldade e falta de arrependimento em relação a esses mesmos atos.

Os fatores geradores de violência doméstica mais comuns:

1º desemprego
2º uso de álcool e drogas
3º fácil acesso a armas de fogo
4º abandono e negligência das crianças

Aproveito para divulgar:

Reportagem sobre violência doméstica
Exemplos dos tipos de violência
Texto que trata sobre violência doméstica contra crianças, mulheres e homens
Música: Cosmogonia – o sentir que violenta (reparem na letra)

1 comentário